Seu navegador tentou rodar um script com erro ou não há suporte para script cliente.
Início do conteúdo
Página inicial > Edições Anteriores > Todas as Edições > v. 23, n. 1 - jan./jun. 2009 > Apresentação
RSS
A A A

Apresentação

Presentation

Caros leitores,

Ao planejarmos este número, pretendíamos chamar a atenção dos profissionais de saúde do Estado, professores, estudantes e leitores em geral, para as doenças infecciosas, e especialmente as doenças respiratórias e a Influenza. Mas a Influenza nos antecedeu. A emergência do novo vírus H1N1, com infecção de número significativo de pessoas nos EUA e no México em abril e maiode 2009, e a identificação crescente de casos, ainda em curso, em diversos países da Europa, Ásia e também na América Latina, incluindo o Brasil, fez ainda mais do que pretendíamos: sensibilizou toda a população para a relevância do problema.

Este novo vírus H1N1 2009 aparentemente resultou da recombinação de segmentos de vírus de três origens distintas (suíno de linhagem eurasiana, com ascendente aviário; suíno clássico; e suíno recombinante triplo emergente nos EUA em 1998 com ascendentes suíno clássico, humano e aviário (1)). Esta identificação da origem do vírus é extraordinária em vários sentidos, desde a demonstração da capacidade traçadora das novas tecnologias (limitada apenas pelos sistemas relativamente precários de vigilância virológica em humanos e animais no mundo) até a evidência dos efeitos da globalização econômica e do trânsito internacional sobre a disseminação e produção de novas combinações genéticas de agentes infecciosos. Além disso, orienta-nos a perseguir objetivos de aprimoramento técnico para a identificação precoce e proteção das nossas populações, humanas e animais, já que a produção de suínos e aves é importante atividade econômica no Estado.

Este número do Boletim da Saúde foi planejado de forma a discutir as doenças respiratórias e a Influenza no contexto da saúde pública do Rio Grande do Sul. Assim, inicia com uma atualização sobre as doenças infecciosas emergentes e reemergentes, uma revisão sobre doenças virais do trato respiratório, e estudos descritivos sobre internações hospitalares e mortes por doenças respiratórias em Porto Alegre e sua associação com a vulnerabilidade social. Seguem artigos mais focados na influenza: uma revisão sobre a influenza humana e aviária, a descrição do sistema de vigilância da influenza no Estado e a descrição dos vírus influenza que circularam no Estado em 2006 e 2007, estudo que resultou da colaboração de técnicos das unidades sentinela na coleta de aspirado nasofaríngeo em Uruguaiana, Caxias e Porto Alegre, pesquisadores do laboratório de influenza do LACEN e pesquisadores da FIOCRUZ. Há também uma descrição da co-evolução de hospitalizações (1998-08) e mortes (1980-2007) por doenças respiratórias e cardiovasculares no Estado, que propõe questões sobre o papel da influenza nas tendências observadas. Esta seção contemporânea encerra-se com o plano de enfrentamento da Influenza do Estado. Seguem-se dois artigos históricos, um relato sobre a Pandemia de 1918 em Porto Alegre e a re-impressão de um artigo que documenta o primeiro isolamento no Brasil (em 15 de Agosto, em Uruguaiana) do vírus da Pandemia de 1957, por Neves da Silva e colaboradores (2), no então Instituto de Pesquisas Biológicas do Estado, em moldes semelhantes a estudos realizados nos EUA na mesma época. Este artigo e o tópico escolhido para este número do Boletim assumem particular relevância quando, em 11 de junho de 2009, a Organização Mundial da Saúde declara situação de Pandemia associada a este novo vírus H1N1.

Maria Inês Azambuja
Editora Convidada


1. REBECCA, J. Garten et al. Antigenic and Genetic Characteristics of Swine-Origin 2009 A(H1N1) Influenza Viruses Circulating in Humans. Science Express 22 May 2009 / Page 1/ 10.1126/science.1176225. Disponível em: <http://www.sciencemag.org/cgi/rapidpdf/1176225v1.pdf >. Acesso em: maio 2009.

Endereço da página:
Copiar
Anexos
Boletim de Saúde - ESP/RS